O HOMEM E O CARRO – 15/11/2007

Diálogo imaginário entre um homem e um carro, que bem poderia ter acontecido terça-feira em Barcelona, na Espanha.

Você por aqui, por onde andou este tempo todo?, Eu parei, já tinha dito isso a você, vim só ajudar, dar uma força, rever os amigos, Ah, meu caro, os tempos são outros, as coisas mudam muito rápido, aquele grandão que conversava com a gente pelo rádio arrumou outro emprego, aquele baixinho que roia as unhas e ficava com o cronômetro na mão vai cuidar da fábrica, e agora tem um loirinho no teu lugar, ele fala pouco, mas é muito bom, Melhor que eu?, Olha, você pode achar o que quiser de você mesmo, mas nos últimos dois anos aquele cara de sobrancelha grossa te deixou comendo poeira, e o loirinho, neste ano, ganhou dele, Você está me provocando, Nada disso, só estou contando o que andou acontecendo por aqui por estes tempos enquanto você cuidava dos filhos, dos cachorros e jogava bola, e ainda apareceu um neguinho pé de chumbo que iria te deixar no chinelo, acho melhor você sair de fininho, aproveita que não tem ninguém olhando e volta para casa, Você está me provocando, sim, vou mandar ligar o motor, Cuidado para não se atrapalhar com os botões, tem coisa nova aí no volante que você nem sabe para que serve, Eu lembro de tudo, deixa comigo, Lembra para que lado tem de virar e onde tem de brecar?, Eu vou te mostrar, você está falando demais para quem não tem boca, E você está meio barrigudo, cuidado para não dar vexame, se quiser eu finjo uma pane hidráulica para não ficar feio e a gente encerra essa brincadeira agora mesmo, Dá para ficar quieto e ligar o motor?, OK, depois não diz que eu não te avisei, quer passar vergonha, que passe, Não vou passar vergonha, estou um pouco nervoso, mas acho que ainda sei o que fazer, Certo, sabe o que fazer, só não esquece que é o pé direito que acelera e o esquerdo que breca, vai, engata a primeira e não deixa morrer, Você está falando demais, como sempre, se prepara porque estou começando a gostar, Ora, ora, não é que está querendo levar o negócio a sério, freou depois dos 50 metros, puxa vida, mas não abusa, isso aqui não é brinquedo para aposentado, é rápido e perigoso, se bater dói, Presta atenção na pista e fica quieto, estou tentando me concentrar e você não para de falar, Ei, vai devagar, não acelera no meio da curva desse jeito, não tem mais controle de tração, quer me jogar no muro?, Eu sei, a Jordan também não tinha, Jordan?, Não é do seu tempo, Bom, faça como quiser, mas não esquece de olhar o espelhinho, amigão, pode ter gente mais nova querendo te passar, eles não respeitam ninguém, Eu só olho o espelhinho para saber quanto estou na frente dos outros, Mascarado, Você sempre falou demais, esse é seu problema, Tudo bem, vou ficar quieto, faz a última curva e vê o tempo, Estou em primeiro, Nada mau para um velhinho, Velhinho é sua avó, Continuas marrento, E aí, gostou?, Sinceridade?, Sim, pode falar a verdade, Quando é que você volta de vez?

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s